domingo, 18 de outubro de 2009

Trilogia Millenium, Stieg Larsson

Uma particularidade das sugestões de leitura que damos e aceitamos é a surpresa. Porque aquilo de que gostamos não tem necessariamente que agradar aos outros. Até porque, como diz a sabedoria popular, gostos não se discutem.
Esta sugestão de leitura foi-me feita por um sueco com quem trabalho e que para além deste, me sugeriu outros autores sobre os quais espero vir aqui a falar numa outra oportunidade.

Não se assuste quando pela primeira vez olhar para os três volumes que compõem esta trilogia porque são de facto: volumosos, passo a redundância.

Em Os homens que odeiam as mulheres o leitor é apresentado aos personagens centrais que irão participar nos três livros: Mikael Blomkvist e Lisbeth Salander. Ele um conceituado jornalista de investigação, director editorial da revista Millenium. Ela uma hacker profissional com sérios problemas de interacção humana e mesmo emocional. Neste primeiro livro a trama centra-se na condenação de Mikael num caso de difamação de um poderoso homem do meio financeiro. Depois de condenado resolvei deixar a revista Millenium e envolve-se na investigação de um caso cuja finalidade é encontrar uma rapariga que desapareceu há mais de 40 anos - Harriet Vanger - mas, pelo meio, irá encontrar muita informação.
Nos volumes seguintes A rapariga que sonhava com uma lata de gasolina e um fósforo e A rainha no palácio das correntes de ar vamos, enquanto leitores, envolver-nos numa rede de intriga, corrupção e assassinato. Desde tráfico de mulheres a questões diplomáticas, são muitos os episódios que se sucedem convergindo num ponto central: a infância de Lisbeth Salander.

Apesar de serem volumosos, acredite que são de fácil leitura e que, se se dedicar a lê-los, irá passar menos tempo a fazê-lo do que o inicialmente previsto.

2 comentários:

Alberto Velez Grilo disse...

O díficil é mesmo deixar de ler.

Uma pena que o Larsson tenha morrido tão cedo.

P. disse...

Sim, é verdade.
Mas parece que deixou um outro livro escrito. Não da trilogia, diferente. Mas o problema, dizem, é que os herdeiros não se entendem...
Os leitores esperam...

Arquivo do blogue